IMPOSTÔMETRO

Carregando...

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Pastor da Igreja Cristã Maranata será ouvido pela polícia


O principal líder da Igreja Cristã Maranata - Gedelti Victalino Gueiros - vai ser o primeiro a depor no inquérito que investiga o esquema de corrupção montado na cúpula da instituição. Ele será ouvido nesta quinta-feira (09) na Delegacia de Defraudações, em Vitória. O rombo causado com o desvio de recursos do dízimo doado por fiéis, segundo estimativas da própria igreja, é de pelo menos R$ 21 milhões.

O inquérito policial foi aberto há dois dias pelo titular da Defraudações, Gilson Gomes, com base em reportagens publicadas sobre o assunto. Nesta terça, ele recebeu um ofício do juiz da 8ª Vara Cível Robson Albanez, solicitando que investigasse o assunto, o que, segundo o delegado, reforçou o trabalho da polícia.

Nas mãos do juiz Albanez - que foi denunciado pela Operação Naufrágio por venda de sentenças - está uma ação protocolada na Justiça pela Maranata e que tramita em segredo. Nesta ação a igreja pede o ressarcimento de R$ 2,1 milhões de prejuízos causados com os desvios e aponta como cabeças do esquema o vice-presidente da instutição, Antônio Ângelo Pereira dos Santos, e o contador Leonardo Meirelles de Alvarenga. Os dois foram afastados das funções administrativas e religiosas, como pastor e diácono, respectivamente.

O caso já está sendo investigado pelo Ministério Público Estadual, que em nota adiantou que os documentos analisados apontam para várias irregularidades e crimes. Assinala que, se aproveitando da isenção de tributos que as igrejas possuem e da boa-fé dos fiéis, pastores estariam usando bens da igreja em benefício próprio. A lista de prováveis crimes praticados inclui desvio de recursos para o exterior, criação de empresa irregular, contrabando e fraudes ao Fisco e ao sistema financeiro.


O golpe era viabilizado por notas fiscais frias emitidas por fornecedores do Presbitério que administra as igrejas, em Vila Velha. Há indícios até de que foram criadas empresas em nome de laranjas. O dinheiro desviado foi destinado a compra de carros a  imóveis, além de dólares que eram levados para o exterior nas malas de fiéis. 
A diretoria da Maranata assinalou que já adotou as providências contra as irregularidades que vinham sendo praticadas. E garante que até o final do dia desta terça-feira o presidente ainda não tinha recebido a intimação policial.

Investigação

O Ministério Público Federal (MPF) vai investigar a relação entre o crime federal praticado pelo autônomo Julio Cesar Viana e o esquema de corrupção montado na  Maranata. O autônomo foi preso em 2010, pela Polícia Federal, com equipamentos sem nota fiscal trazidos do Paraná.

O nome de Julio Cesar aparece em vários recibos de caixa da igreja, com saques de recursos que eram depositados diretamente na conta dele ou de familiares.

Julio era o encarregado pela compra dos equipamentos do sistema de videoconferência montado pela igreja. O material era comprado no Paraguai, levado para Curitiba, e de lá trazido para Vitória.

A investigação será feita pela Polícia Federal, a quem o MPF fará o pedido ainda esta semana. Na época, segundo o MPF, Julio praticou o crime de descaminho, chegou a ser denunciado, mas não havia ligações claras dele com os desvios praticados pela Maranata. Mas agora, diante das publicações, tudo indica que os equipamentos eram de fato destinados à igreja.


Além dele, há manifestações de pastores em outros Estados e até de fora do país inconformados com a situação, aguardando as apurações e ameaçando deixar a igreja. Há até quem reivindique que uma nova eleição para diretoria da igreja seja realizada.

Pastor deixa a Maranata

Em abril do ano passado, após anos de denúncias, o professor e pastor Eduardo Gil Vasconcelos deixou a Maranata, igreja que ajudou a montar na região de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, há 24 anos. "Cansei dos desmandos e das irregularidades", afirma.

Segundo ele, tudo o que vem sendo denunciado no momento já vinha sendo praticado havia muitos anos na igreja. "Há pelo menos quatro anos venho denunciado irregularidades no Presbitério de Vila Velha, mas nada foi feito", assegura o pastor.
 

Um comentário:

  1. LAMENTAVEL.. CADE AUDITORIA FISCAL ANUAL...DESEJAMOS A TODOS OS IRMAOS EM CRISTO JESUS E BOM QUE MANTENHAM FIRME NA FE NO AMOR E NA GRACA DO SENHOR JESUS....MAS QUE ESTEJAM EM DESACORDO COM OMISSAO A TANTO TEMPO TEREM FACILITADO O DESVIO DAS FINANCAS DO CAIXA DA IGREIJA..TODO A CENTRALIZACAO DE PODER ADMINISTRATIVO E CONTROLE FINACEIRO LONGE DE UMA AUDITORIA FISCAL DE IRMAOS COMPETENTE DENTRO DO CENTRO DA ORGANIZACAO COMO A PARTICIPACAO DE OUTROS ESTADOS.
    A VERDADE DEVE SER BEM ESCLARESCIDA SEM ENROLOS E OMISSAO.
    SE E UMA OBRA SERIA.E COM UM POVO SERIO.COM UMA DIRETORIA SERIA E FLEXIVEL PARA TODOS OS COORDENADORES.FOMOS COMPRADOS POR BOM PRECO DE SANGUE ..SANGUE DE CRISTO...E CRISTO VIVO...RESPEITE SEU SEMELHANTE....A FAMILIA....SOCIEDADE...ENFIM A TUA ALMA NAO DEVE FAZER UMA OMISSAO DE QUASE CINSO ANOS QUE ESTAO VINDO A TONA AGORA....E O Q AINDA NAO SABEMOS....CONFESSEM A VERDXADE E DEEM LUGAR A VERDADE PARA UMA DIRECAO BEM TRASPARENTE.PENSSEM AMPLAMENTE VOLTADOS REALMENTE PARA BEM DAS ALMAS..QUE TD SEJA SANADO E DEUS GLORIFICADO AINDA MAIS.

    ResponderExcluir

Comente a vontade, pode ser anonimo se preferir.